quinta-feira, maio 15, 2008



O PONTO DE EMBRAIAGEM

E

A NESPRESSO ("what else?")






Como é sabido (ou não...), a embraiagem, entre outras funções complicadas, destina-se a desligar o motor das rodas motrizes (ou será da caixa de velocidades?).

Em "chassos" ("chaços"?), perdão, em carros como o nosso, a embraiagem é accionada através de um pedal (o primeiro a contar da esquerda dos três supra representados).

É pressionando esse pedal, de preferência com o pé - como o próprio nome aconselha -, que engatamos (engrenamos) uma mudança ao movimentar o manípulo da caixa de velocidades,
de preferência com a mão - e pela mesma razão.

Uma sucessão elegante e quase sincrónica de movimentos.

Verdadeira cumplicidade entre pés e mãos: o direito larga o pedal (direito) de controlo da velocidade - vulgo: acelerador - ao mesmo tempo que o esquerdo pressiona o da embraiagem; a esquerda segura o volante, libertando assim a direita para o engate da mudança de velocidade.

É este o momento de intimidade entre carro e condutor.

Porém, o verdadeiro talento do condutor afere-se pela facilidade em alcançar o "ponto de embraiagem", também conhecido por "meia embraiagem", ponto em que se consegue manter o carro quase imóvel (embora, obviamente, ligado / "vivo"...), compensando a pressão no pedal da embraiagem com a pressão no acelerador, sem o deixar "morrer".

É certo que não se deve abusar desta operação; mas ela é quase inevitável nas manobras de estacionamento, especialmente se não se conseguir mais do que um lugar acanhado para o efeito.

Ora, o controlo humano da embraiagem tem os dias contados pelo simples motivo de que a caixa de velocidades tende a ser automática, automatismo esse que tem vindo a "democratizar-se".

Dir-se-ia que isso é bom, assim como, supostamente, é preferível o GPS ao enorme mapa de papel desdobrável ou o avisador de proximidade de um obstáculo (o irritante "pii...pii...pii...") ao "crash".

Com o devido respeito pelo facilitismo, não concordamos!

É que assim retira-se todo o prazer da condução. Mais: acaba-se com a arte de conduzir, nivelando por baixo os condutores, que passam a ser todos maus, pois também já não precisam ser bons, uma vez que o carro faz tudo por eles.

As escolas de condução que se ponham a pau (o que até nem será mau...)!







E quando se fala de embraiagens, fala-se de qualquer outra coisa, como, por exemplo, de máquinas de café.

Se não, vejamos:

Segundo o INE (Instituto Nacional de Estatística), não há hoje em Portugal lar que se preze (tirando porventura o nosso...) em que não haja uma Nespresso!

Falamos, como bem sabeis, de uma estilizada máquina de café expresso, cuja concepção foi encomendada por uma conhecida multinacional de papas para bébé e que funciona à base de cápsulas (a máquina, não a multinacional das papas...).

E há cápsulas para todos os gostos, em que o café pode ser aromatizado com as coisas mais estapafúrdias.

Disseram-nos, inclusivamente, que já está disponível no mercado nacional café com aroma a sardinha assada.

Mas, honestamente, nem é isso que nos incomoda. Por nós, até pode cheirar e/ou saber a chá!

O problema não é a novidade, em si.

Mais uma vez, o que nos choca é o automatismo e também o uniformismo.

Deixa de haver surpresas...

É que antes era possível errar na dose de café: da "pólvora" à "cevadinha"...

Também era possível - como aliás aconteceu esta manhã connosco - entornar meio pacote de café na cozinha em pleno cenário de atraso laboral.

Agora não!






Entristece-nos isto das cápsulas...

Onde pára o café de balão, por exemplo?


Extraordinário espectáculo visual, esse, embora aqui pindericamente recordado pela Bodum, que prescinde da indispensável lamparina, ligando o balão à corrente eléctrica (não se vê, mas é assim)...

E o que é feito da, incomparavelmente eficaz, cafeteira de alumínio, hum?

Juízo final, que é como quem diz "moral da história": somos pelos bons e maus cafés, desde que tenham personalidade, ****!




45 Comments:

Blogger Amélia said...

primas!!! já que não somos donas de coisa nenhuma! (mas muito menos ingratas...)

fez-me lembrar o meu primeiro carro (?)! um lindíssimo renault 4! era bestial!
mas com o que mais delirava quando me metia em viagem naquela chocolateira era com a posição de condução... o pulso apoiado em cima da manete das mudanças, e uma mão relaxada pegando no cigarro, que ia ardendo calmamente e escorrendo cinza para o cinzeiro que se encontrava logo em frente...

infelizmente, trauma, abalroaram-ma, e nem sequer a pude defender. não estava presente no trágico evento...

qualquer coisa... anárquica!

16/5/08 12:01 da manhã  
Blogger Lizzie said...

Capitão:
ao menos o mocinho é antigo no uso de ventosas...!Grande lombalgia!
Ainda um dia destes pessoa altamente especializada nos dizia que vamos ficar estúpidos por causa dos automatismos. Conduzir implica ginástica olimpica para a mioleira:quase toda ela é utilizada na função.Ficaremos flácidos de pensamento e reflexo e musculo é coisa que gostamos ao contrário de

café. Não gostamos mas adoramos levar os nossos espanhóis às casas lisboetas do dito, onde o compram até em grão.
Depois gostamos de os ver prepará-lo. Deliciamo-nos com o cheiro e com os gestos rituais requeridos para o fazer. Cheira-nos a começo de vida pela manhã, seja madrugadora ou tardia,a comunhão de espaços e afectos, não brigando com o nosso chá.
Pesadelo seria misturar o referido cheiro com o dos torresmos. Perdoai, mas somos fóbicas. Agora sardinha ou peixe espada...ou mesmo Sonasol verde...enfim.

Continência

16/5/08 11:00 da manhã  
Blogger ELA said...

deixei lá um postal que vos é dedicado
Gostei do suporte de taças. Pode dizer-me onde poderei adquirir um idêntico?

16/5/08 2:38 da tarde  
Blogger Emma Larbos said...

Pois, Capitão, desta vez não concordamos. Não tenho nada contra as cápsulas se elas nos proporcionarem surpresas nos sabores e aromas do café. Gosto de variadas misturas de aromas. Mais. Não gosto do sabor do café, a menos que seja bem misturado com outros sabores. Já do George Clooney, não gosto nem sequer misturado com café.
E aplaudo veementemente as caixas de velocidades automáticas. Por mim passávamos já à fase seguinte, que é o carro completamente automático a obedecer humildemente ao comando da minha voz para me levar aqui ou ali. Sou completamente disléxica do aparelho condutor! Vivam os carros automáticos!

16/5/08 11:23 da tarde  
Blogger intruso said...

(risos)


[diria que este post é impróprio para quem não conduz nem bebe café...]
glup
(ou não.....)


p.s.
abaixo o automatismo
e o uniformismo,
com essa concordo!

abraço
bom fim-de-semana!

16/5/08 11:55 da tarde  
Blogger Bandida said...

capitão, concordo em absoluto com a caixa de velocidades manual e com a capacidade de domínio da máquina. é giro fazer uma curva apertada...
já com o café.... hummmmmmmm.....
hummmmmmmmmm...... hummmmmmmmm...hummmm....uns cigarros para acompanhar

a Vossa mão, meu capitão!

17/5/08 1:21 da manhã  
Blogger triliti star said...

uma frase passível de várias leituras:
"libertando assim a direita para o engate da mudança de velocidade"...

um abraço

17/5/08 2:35 da manhã  
Blogger triliti star said...

a bandida deixa-vos belas prendas, capitão.

17/5/08 3:55 da manhã  
Blogger ELA said...

o meu primeiro carro foi uma Dyanne, da Citroën.Em segunda-mão. Nas primeiras avarias (que foram muitas) levava-o a um mecânico, pai de um amigo meu. Ele arranjava o carro na minha frente e ia explicando o que estava a fazer e porquê. Ao fim de algum tempo, já era eu que «lhe tratava da saúde». Não imagina o prazer que me dava aquela mecânica simples. Até tinha um tapete e uma lata de óleo cortada, para mudar o dito! E uma chave especial para mudar as velas, que eram de acessibilidade complicada, e uma escovinha para as limpar...
Um dia tive de mudar de terra. Deixei de poder contar com o apoio do «meu mecânico». Nessa outra terra tive dificuldade em encontrar um à altura. O último que fez a revisão e colocou a bateria fez tanto disparate que até provocou um incêndio: tinha trocado os bornos!!! Regressava eu de ter ido discutir com ele quando, no meio de um cruzamento, a alavanca das mudanças saíu do sítio!!! Fiquei com o carro parado no meio do cruzamento!!! Não sei se foi da raiva, se foi generosidade solidária da Dyanne, se golpe de sorte ou até, admitamos, resultado de um acumular de experiência, o facto é que em 3 tempos coloquei a dita no lugar!
No carro que agora tenho, nem sei como fazer para trocar uma lâmpada!
Ai as saudades que eu tenho da minha Dyanne...
(Verdade se diga que, nas ultrapassagens, a coisa se complicava. Eu dizia-lhe: «Ultrapassa!». E ela: «Não tenho pressa...»; e eu «Vá lá, brum brum, pleeease»; e ela ««já vai, calma...»; e eu: «é agora, é agora!... Não, já não é: vem outro no outro sentido...»
De noite tinha de lhe cobrir o motor com um jornal, para absorver a humidade.E houve manhãs em que tive de secar o distribuidor com o secador de cabelos; era uma relação muito terna, a nossa...
Nas subidas, agachava-se.
Se chovia muito... parava! (talvez por saber que eu gostava de fumar um cigarrinho, no meio de nenhures, à chuva...)
:-)

17/5/08 10:58 da manhã  
Blogger GAMNAA. said...

visite o GAMNAA!

17/5/08 3:20 da tarde  
Blogger Frioleiras said...

só demasiado vadia para gostar de beber caé em casa.
Além disso tetesto carros (já fiqueoi seim caixa de velocidades num... ia morrendo. Nunca mais andei em autoestradas...)

18/5/08 12:34 da manhã  
Blogger casa de passe said...

agora fiquei baralhado: será que a máquina de café lá da casa tem caixa de velocidades? ai não, ando mesmo desorientado, a alice, a fininha, faz o café com a cafeteira de ir ao lume.


joão

18/5/08 2:08 da manhã  
Blogger tolilo said...

tio Hadock,

Já não gostas de mim?

nunca mais me vieste contar historirinhas ao berço !

Chuac!._

18/5/08 6:30 da tarde  
Blogger Lana said...

Krida Crew - Capitão e companhia
tenho-vos a dizer que adoro café, desde o de saco ao de "nesxpresso" e, ainda, que furo as estatisticas pois não tenho não quero e não vou ter uma máquina dessas, qt mais não seja para "não lhes fazer a vontade" aos do INE.
adoro um bom café e ainda mais quando é com boa companhia e, de xx em qd, com um cigarro!
da Nesexpresso ... nem o Clooney ... e muito menos com cápsulas ... eheheh, ao natural é mto melhor ...
1 sorriso mto malandro e luminoso
Lana

18/5/08 8:52 da tarde  
Blogger triliti star said...

nespresso!! não muito obrigado. cafeteira italiana ou balão.

caixa de velocidades? com motorista tanto faz (mas não tenho, claro).

19/5/08 12:21 da manhã  
Blogger Boop' said...

Lamento capitão, não gosto de café!
Mas gosto de conduzir, e em nada me atraem as mudanças automáticas!!!!
A ligação do Homem ao processo dá-nos a iusão (ou não?) do poder sobre a coisa em si! E nada é mais inebriante do que o sentir que escolhemos o que acotece connosco...
Será?

;)

PS - o filme está fantástico. Onde arranjas tu estas coisas??????

19/5/08 10:53 da manhã  
Blogger nnannarella said...

Bom dia, Archie, eis que emerjo das minhas f***** criadulcíssimas, emocionada de vossos contidos sobressaltos emocionais, com algumas algas negras e sanguessugas azuis na cabeça, é certo, a fazer-me de medusa caravaggiana para me apropriar de um look a condizer com a minha mui próxima condição de escritora mediática e mui-pós-modernaça.
Quanto ao ponto de embraiagem, adoro exibir-me a fazê-lo, sobretudo em planos inclinados para trás, pois sou mestra em tal arte, mas já aconteceu distrair-me e descair-me, quando pelo retrovisor deparo com um olhar mestre no engate das mudanças, amolgando-lhe a dianteira da caleche, a fim de termos de sair de nossas viaturas e preencher aquele papel amigável, geralmente culminado por um café sonhador, como o olhar de Mr. Clooney. Com a minha mesura mais graciosa, Vossa.

19/5/08 10:58 da manhã  
Blogger Naked Lunch said...

analógico, capitão... e rabujento qb... tenho uma proposta para sexta-feira, bem dentro do espírito deste post... 1922... baixa fidelidade... preto e branco... abraço!

19/5/08 12:45 da tarde  
Blogger Teresa Durães said...

com tanta aparelhagem que os carros agora têm, tirar nespresso ou usar o inconfudível balão não precisa de ciência alguma.

vou tirar um pacotinho e fazer um post

19/5/08 3:20 da tarde  
Blogger Lia Bettencourt said...

recordo com nostalgia a expressão incrédula quando perguntei à vendedora se a máquina vinha com George Clooney incorporado...

19/5/08 4:14 da tarde  
Blogger Haddock said...

boas!!

amélia, "primas"?? "primo" pela inteligência, é isso?? (ou simplesmente "primas" de "primeiras"??...). a "catrel" era magnífica!! especialmente aquela sensação de claustrofobia proporcionada pelo sistema de abrir só meia janela...
e sentidas condolências pelo triste fim...

lizzie, é estupidificante este facilitismo mecânico. convite à preguiça intelectual e motora, sim... quanto ao café, haveis de vos render, estamos certos, nem que o aromatizais com morangos silvestres...
ah, e há bons torresmos; é preciso é encontrar alguém que tenha arte na respectiva confecção, asseguramos-vos!

ela, gratos pela lembrança da arte da torragem e moagem do café. confessadamente nunca recuámos tanto e muito menos ao ponto de o plantar!!
e lembramos-nos do gozo de andar numa dyanne, que recordamos de vez em quando passeando num 2 cavalos. de mecânica, porém, percebemos apenas o suficiente para ligar para a assistência técnica... para isso o irritante telemóvel é precioso!

senhora De larbos, não nos digais: sois aselha na condução??? seguramente por culpa da escola de condução. dizemos-vos: não sabeis o que perdeis no domínio da viatura...
e deveis ter uma colecção de apitadelas de ruborizar, confessai!! em relação ao café, quanto mais genuíno melhor. e somos contra o pauzinho de canela, que consideramos um desperdício obsceno do mesmo! colherzinha de inox!! (isto para quem o quer adocicado...)

intruso, credo!! logo 2 em um!! ou menos dois em um... hás-de converter-te, tenho a certeza!! pelo menos, quando o preço da gasolina baixar. também não fumas, claro!?! (o que não poupas, então...)

bandida, tantos "azulinhos"!! excelentes!! ao último chegámos a prestar homenagem, de tão certeiro que é...

triliti, não comeces a dar a volta ao texto... é só mais um manifesto protestal!! cafeteira italiana?? hummm, rendeste-te à alessi, está visto!

gamnaa, visitamos, claro que visitamos...

frioleiras, café fora também tem a sua piada... e vê se te reconcilias com a autoestrada; dá imenso jeito, especialmente se não tiver portagens...

joão, estima a alice, então... pode ser um chamariz para os fregueses o café à moda tradicional.

tolilo, lá passaremos, puto. muitos compromissos laborais, que nós já não andamos na creche!

lana, bem vinda ao movimento de boicote ao clooney, digo à nespresso!!!! sabia que não falhavas em mais este acto de solidariedade protestal...

boop, essa sensação de domínio dá imenso gozo, claro!! quanto à tubagem, andávamos à procura dos "tempos modernos" do chaplin e descobrimos isto... pura coincidência.

nnannarella, finalmente!! já andávamos tentados a pedir a declaração de vosso óbito blogal, tal a prolongada ausência, que mais se assemelhava a bloguecídio sem bilhete de despedida...
ireis tornar-vos uma escritora pós-modernaça?? em conluio com mais mãos, dizeis?? fantástico!! tende, porém, cuidado, com os direitos autorais, especialmente se o escrito alcançar - como certamente acontecerá - a difícil condição de best seller.
quanto ao ponto de embraiagem, nunca tínhamos pensado nele como técnica desse "engate": interessante... (e dispendioso, também!)

naked lunch, analógico?? vou espreitar o programa de sexta, que promete!!

teresa, calma... há ciência no balão, não digas que não...

lia, "expressão incrédula"?? a vendedora não te conhecia certamente...
e como é?? qualquer dia eu e o joão azulinho fazemos uma "manif" por lá!! ai fazemos...

19/5/08 8:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

...
ingratitude, só ingratitude! ;)

anárquicos!

20/5/08 12:13 da manhã  
Blogger pentelho real said...

primeiro: no nosso transporte, caixa de velocidades tem tudo a ver com o estalar do chicote.

segundo: misturar café com George Clooney fica logo o café com gosto a queimado.

terceiro: um bom cafezinho, ai gosto, gosto. e vai ser já, mas sem modernices.

quarto: a seguir vou deitar-me que o convento anda em grande reboliço e eu preciso descansar.

boa noite

ps- o que fizeram ao anónimo que está tão ofendido?

20/5/08 1:29 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

...
linda princesa, ninguém está ofendido. antes pelo contrário...

20/5/08 3:28 da tarde  
Blogger intruso said...

obrigado meu (e não meo) capitão!
(pelas considerações por lá......)
:)

p.s.
dilexia cronica digital, também sofro disso...

20/5/08 9:21 da tarde  
Blogger intruso said...

dislexia
(dizia eu)

[vou daqui a pensar na embraiagem
...e no que poupo, também]

abraço/continência!

20/5/08 9:25 da tarde  
Blogger merdinhas said...

Não tenho carro.

O ponto de embraiagem é um ponto estranho que se faz com uma fracção da E.T.A (Embraiagem, Travão e Acelerador) que costuma estar aos vossos pés. Acertei?


Não tenho Nespresso. Can't I express myself?


abraço

20/5/08 10:41 da tarde  
Blogger pardal de telhado said...

~~~~

voando por aqui~~~

mas bem alto~~

que o vapor do café

pode ferir-me~~~

~~~~ãs asas~~~~

21/5/08 12:58 da manhã  
Blogger Frioleiras said...

como estou de insónias, que nem os túneis de jacarandás me acalmaram, venho tomar um chazinho de verbena em vez de vos usar essa maquineta...

pode ser que me dê o sono já que tenho de me levantar sempre cedo...
se calhar, se em vez do Clooney a publicitasse o Jeremy Irons ou o john malkovich não embirraria tanto com ela...

21/5/08 2:14 da manhã  
Blogger Frioleiras said...

como estou de insónias, que nem os túneis de jacarandás me acalmaram, venho tomar um chazinho de verbena em vez de vos usar essa maquineta...

pode ser que me dê o sono já que tenho de me levantar sempre cedo...
se calhar, se em vez do Clooney a publicitasse o Jeremy Irons ou o john malkovich não embirraria tanto com ela...

21/5/08 2:14 da manhã  
Blogger pinky said...

eu cá sou uma rapariguinha antiquada, pois que gosto mesmo de embriagens, pois que gosto mesmo de café á antiga e nunca na minha casa há-de entrar essas máquinas ultramodernas, apesar de confessar que o saber do café até é bonzinha mas detesto pagar mais do que devo só por mariquices!
agora essa do café com sabor a sardinha assada é que me apanhou...e de cozido á portugues, arroz de pato ou mesmo feijoada, serão aromas que se seguem? arghhhhhhhh

22/5/08 2:34 da manhã  
Blogger G.A.M.N.A.A. said...

O Capitão saberá que no MNAA há um café sem ser feito com essa máquina de que faz publicidade?

Compra-se no restaurante do MNAA e poderá bebê-lo debaixo de árvores lilás.
E poderá passear no jardim o que é muito melhor do que no sofá da sua casa!

Visite-nos e verá que não se arrepende!

22/5/08 6:06 da tarde  
Blogger burro said...

nespresso passo.

um abraço,
aqui, sempre que possível passo.

22/5/08 7:38 da tarde  
Blogger casa de passe said...

passei pelo sono a cair de sono.

o Capitão não quer passar lá pelo nosso estaminé para me dar umas massagens nas ancas? Estou derreada!

- LouLou -

23/5/08 1:03 da manhã  
Blogger audrey said...

Não passo sem café, seja de que modo mo façam.

23/5/08 10:33 da manhã  
Blogger Bandida said...

ali a loulou da casa de passe teve graça... :)))))

passei para ver se já estavamos no chá...

23/5/08 12:07 da tarde  
Blogger nnannarella said...

Pois ainda não foi desta nem óbito nem bloguicídio, Archie. E quanto ao café, ele está assim tão caro ? Porque lhe chamades dispendioso ao eventual incidente ? (Não será por causa do descair, pois não?, já que quem bate por trás é quem paga.)
Quanto aos direitos doutorais, claro que não os esqueceremos. Tanto que vislumbro já uma sit-com catita baseada em alguns dos doutos textos.
E agora vou fazer pontos de embraiagem para a 5 de Outubro, que está linda linda linda, na sua féerie jacarandádica. Mesuras!

23/5/08 8:02 da tarde  
Blogger Emma Larbos said...

Capitão, garanto-vos que não oiço uma única apitadela por razões automobilísticas! Tenho um truque especial para que isso não aconteça mas não me peçais que o revele porque é absolutamente secreto!
E ainda um dia farei uma longa lista de ilustres figuras da civilização que não conduziam e não tinham pena. Estou a lembrar-me, por exemplo, do grande poeta David Mourão-Ferreira? Sabeis que não conduzia? E olhai lá os lindos poemas que nos deixou!
Consta, aliás, que não era homem de poucos prazeres na vida, pelo que podemos supor que os prazeres da viatura não são coisa por que valha a pena sofrer muito.
De cafés, gosto muito do Cappucino. Não me direis que é uma modernice, espero! Ainda um dia vos convido para tomarmos um. Sem pauzinho de canela.

23/5/08 11:55 da tarde  
Blogger galatea said...

?...
Lo siento!
Yo sólo soy una "caminante" (peatona)
Saludos.

24/5/08 1:25 da manhã  
Blogger Haddock said...

boas!!

anónimo, ingratos, nózes?? omessa! anárquicos também!

princesa, é tudo uma questão de cavalos, no fundo... e se a intenção é descansar do reboliço conventual, aconselhamos-vos antes um descafeinado!

intruso, cada dia que passa poupas mais. na verdade, acho sinceramente que qualquer dia estás milionário!!!

merdinhas, claro que podes. mais: deves! o uso do travão pode é ser sinal de aselhice... ou não...

pardal, para ti um mazagrin??

frioleiras, e se fosse o woody allen?? já que promoveu chá...
http://br.youtube.com/watch?v=CgMCfi4HhyA

pinky, rapariga de embraiagens... gostei dessa! e cá para mim se se quer combinar sabores que se acompanhe o café com um belo de um bombom belga.

gamnaa, é um óptima ideia para quando deixar de chover invernosamente!

burro, fico contente com isso. espero que continues "in" & "feliz"!

loulou, a primorosa educação que recebemos impede-nos de te mandar a outro destino que não "à fava"!!
ai o respeitinho...

audrey, e se for um "batidozinho" de nescafé??

bandida, ainda estamos no café. e nada de aplaudir dislates!! mau!

nnannarella, é por causa do descai, é!!! e olhai que não nos parece que essa regra de que "quem bate por trás paga" valha para casos de carros parados, mas enfim, teve graça... e não nos digais que já conseguisteis parceria com os gatídeos mal cheirosos...

senhora De larbos, nem ousámos insinuar que a condução faz o artista, oras!! é claro que há outros prazeres bem menos mecânicos. saborear um café, é um deles. capuccino não faz a nossa preferência, mas aceitaremos o convite com todo o gosto, se for sério o compromisso de que não haverá pauzinho de canela...

galatea, não há por que lamentar... ainda para mais se és apreciadora de cafés...

vénias, a&b!!

24/5/08 8:14 da tarde  
Blogger margarida já muito desfolhada said...

capitão,
senhor,
eu de caixas de velocidade e de carros nada percebo. para mim só transportes públicos e dou-me bem. questão de hábito, talvez.
café, aí sim, adoro (nespresso já bebi e não gosto). mas ando a reduzir, bebia dez e doze por dia, não me tira o sono, mas o meu estômago anda a reclamar.
ah, e outra coisa, tal como a senhora de larbos, sem canela.
bom resto de fim de semana.
(se fim de semana também é asterisco, peço desculpa).

25/5/08 12:05 da manhã  
Blogger isabel mendes ferreira said...

bem mal....C.





mt obrigada pelo gentil cuidado.



abraço. suave. suavemente.

25/5/08 8:41 da tarde  
Blogger inBluesY said...

de carros nao entendo patavina, mas tenho tento aos barulhos, não vá enfim!

agora do café, e por muito que goste do saudosismo, é que não havia nada melhor que estas lindas ma´quinas e suas capsulas anexas.

:)))

12/6/08 2:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Bravo, what phrase..., a magnificent idea

16/9/10 8:08 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

You were not mistaken

13/10/10 7:50 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home